Duque

Conhecemos o Duke quando fomos encontrar Marina Guimarães no estúdio em que ela ensaia, na Vila Mariana, bairro da zona sul de São Paulo. Marina é bailarina e ficou conhecida nacionalmente ao dançar na abertura dos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012. Duke nasceu há cinco anos em Palm Springs, Califórnia, numa ninhada de nove filhotes. Quando completaram um ano, Duke e seus irmãos e irmãs fizeram um teste vocacional – uns foram para o departamento de polícia, outros para o de bombeiros. Duke e Spirit, um dos irmãos, tiveram outro destino: foram “estudar” na Guide Dog of The Desert, uma escola para cães-guias em Whitewater, próximo a Palm Springs. Há três anos Duke se tornou o companheiro de Marina. Ao ver os dois juntos, logo se percebe que Duke não é apenas o cão-guia da bailarina. Ele observa cada movimento de Marina com um olhar reverente e atento. Ela diz que sua vida mudou completamente quando Duke chegou – tornou-se em parte os seus olhos, a sua segurança e principalmente seu mais fiel e constante amigo. Amigo de verdade. Há poucos meses Marina soube que Spirit estava morando no Rio e combinou um reencontro entre os irmãos. Para surpresa de todos, Duke e Spirit lembraram um do outro e brincaram a tarde inteira. “Não é Duke?”, ela pergunta com voz carinhosa. E, como uma criança feliz, Duke vem correndo para seus braços.